Imunoalergologia

 

Coordenadora do Serviço: Dr.ª Susana Rodrigues Carvalho

 

O Serviço de Imunoalergologia está preparado para dar resposta à generalidade dos procedimentos inerentes ao estudo e acompanhamento do doente alérgico, numa perspectiva de atividade assistencial predominantemente clínica.

As doenças alérgicas são, na sua grande maioria, doenças crónicas cada vez mais frequentes a nível mundial. Este fenómeno deve-se a múltiplos factores, como a poluição ambiental, o aumento de substâncias alergizantes nos alimentos, na água, e em contacto com a nossa pele, sendo também indiscutível o papel da hereditariedade. Faz, pois, cada vez mais sentido a existência de uma especialidade médica da natureza da Imunoalergologia, assumindo o Imunoalergologista o papel de gestor da doença alérgica em cada Utente (nas suas várias formas de expressão).

 

Imunoalergologia

 

Missão, Visão e Valores

De entre as PATOLOGIAS a que a Imunoalergologia se dedica a ESTUDAR e TRATAR, destacam-se a asma brônquica, a rinite/ rinossinusite alérgica, a conjuntivite alérgica, o eczema atópico, a urticária, a anafilaxia, a alergia a medicamentos, a alergia a alimentos, a alergia ao veneno de vespa ou de abelha e as disfunções imunitárias.

Tratando-se de uma especialidade hospitalar, cuja patologia-alvo é de natureza multi-orgânica, é de extrema importância o estabelecimento de PARCERIAS entre o Serviço de Imunoalergologia e os restantes Serviços/ Unidades do Centro Hospitalar do Oeste, divulgando a especialidade e promovendo e optimizando o ACESSO do Utente internado ou urgente à Imunoalergologia. Existe também a preocupação em desenvolver uma boa articulação entre o Serviço de Imunoalergologia e os Cuidados de Saúde Primários da região, promovendo acções de formação.

Pretende-se também fomentar o ENSINO e a sensibilização pública, de modo a conseguir-se uma efectiva redução da exposição alergénica ambiental, nomeadamente doméstica, profissional e comunitária.

Temos vários projectos ao nível da COMUNIDADE, destacando-se o estabelecimento de parcerias com creches e escola, a promoção de acções de sensibilização de medidas preventivas de exposição alergénica ambiental e o desenvolvimento de acções de rastreio de doença alérgica na comunidade.

 

Atividade Assistencial

 

Consulta de Imunoalergologia (todos os grupos etários)

Inclui consultas previamente agendadas e consultas não programadas, como situações de avaliação de utentes internados ou referenciados pelo Serviço de Urgência e avaliação “urgente” de utentes já seguidos na consulta de Imunoalergologia. Inclui ainda a consulta de alergia ocupacional ao látex, numa parceria com o Serviço de Saúde Ocupacional.

 

Testes cutâneos por picada ou prick (com alergénios respiratórios ou alimentares)

São utilizados no estudo da doença alérgica (respiratória, cutânea e alimentar) para identificar o alergénio responsável pela sintomatologia, de modo a que se possam adoptar medidas de evicção.

 

Numeracao Testes Cutaneos    Testes Cutaneos Alergenios    TestesCutaneos

 

Testes específicos de alergia medicamentosa

 

Provas de provocação com alimentos / medicamentos

No decurso da investigação de alergia a alimentos / medicamentosa, os resultados dos testes cutâneos e/ou das análises clínicas terão de ser sempre confrontados com a situação clínica. Contudo, em muitos casos, só a realização de uma prova de provocação poderá confirmar ou excluir a alergia ao alimento / medicamento em causa, orientando os conselhos no sentido da sua restrição ou evitando restrições desnecessárias.

 

Provas Provocacao

 

Indução de tolerância a medicamentos

Nos casos de alergia comprovada a determinado medicamento, mas em que se considera imprescindível a toma do mesmo.

 

Indução de tolerância a alimentos

Nos casos de alergia comprovada a determinado alimento, com risco de contacto acidental com quantidades vestigiais (alergénios ocultos) e história prévia de reações graves potencialmente fatais.

 

Administração de imunoterapia específica alergénica subcutânea (vacinas)

Consiste na administração ao utente da substância à qual é alérgico (ácaros, poléns, fungos, pelos de animais). São administradas doses progressivamente crescentes e em intervalos regulares (geralmente de 4 em 4 semanas) de um extracto alergénico por um período de 3 a 5 anos. Esta forma de tratamento reduz os sintomas que ocorrem após a exposição às substâncias a que se é alérgico, levando a uma diminuição da intensidade e frequência das crises de asma, rinite ou eczema, redução ou atraso do aparecimento de novas alergias e de formas mais graves de alergia.

 

Administracao Imunohemoterapia Alergenica

 

Administração de tratamentos específicos

Tratamento anti-IgE ou imunoterapia sublingual para látex.

 

Ensino de técnicas inalatórias

A maioria dos fármacos utilizados para o tratamento preventivo e/ou de crise da doença alérgica respiratória são administrados por via inalatória, de modo a aumentar a sua segurança (actuam directamente e quase exclusivamente no órgão-alvo que se pretende tratar). Contudo, se não forem cumpridos os vários passos da técnica inalatória, a sua eficácia será muito reduzida.

 

Ensino Tecnicas Inalatorias    Inaladores    Tecnicas Inalatorias

 

Ensino de medidas de controlo ambiental

O tratamento/controlo da doença alérgica assenta em 3 grandes pilares: medicamentos, redução da exposição ao alergénio (controlo ambiental) e imunoterapia específica alergénica (“vacina”). As medidas de controlo ambiental são explicadas a cada utente de forma personalizada, tendo em conta as características próprias do ambiente onde vive / trabalha.

 

Acesso

Todos os utentes da área do Centro Hospitalar do Oeste. A referenciação para a consulta pode ser feita internamente, por todos os serviços de todas as unidades hospitalares do CHO, para utentes de todos os grupos etários. Por via externa, a referenciação pode ser feita através dos cuidados de saúde primários, para utentes dos grupos etários pediátricos, prevendo-se que no futuro seja feita também para utentes de todos os grupos etários.

 

Recursos Humanos

Médico Imunoalergologista: Dr.ª Susana Rodrigues Carvalho

Equipa de Enfermagem: Enf.ª Fernanda Lucas e Enf.ª Maria do Carmo Santos (Unidade de Caldas da Rainha), Enf.ª Cristina Morais e Enf.ª Everilde Glória (Unidade de Torres Vedras)

Gestor da Área: Dr. Nuno Pina

 

Equipa

 

Localização, Horários e Contactos

Localização

O Serviço de Imunoalergologia localiza-se junto das Consultas Externas, tanto na Unidade de Caldas da Rainha como na Unidade de Torres Vedras.

Horário

O Secretariado funciona nas Unidades de Caldas da Rainha e Torres Vedras, de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00.

Contactos

Unidade de Caldas da Rainha

T. 262 830 373

E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Unidade de Torres Vedras

T. 261 319 266

Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.